Consistência da carne nas papas principais #dicadanutri

 

 

Tenho conversado com muitas mães sobre a questão “introdução alimentar”. e a grande maioria relata uma certa dificuldade quando falamos sobre a carne!

O que eu mais ouço é: “mas a carne não é muito dura pra ele(a)?”

e o que eu mais respondo é: “a carne deve ser introduzida já aos 6 meses de idade, e a consistência será evolída conforme a idade”

Então, hoje resolvi postar esta foto, que traduz como deve ser a consistência da carne a ser oferecida nas papas principais.

Aos 6 meses: bem picadinha, quase esfarelada

Aos 8-9 meses: pedaços menores, “desfiadinha”

Aos 12 meses: o pedaço de carne deve ser servido como é para os adultos, e após cortado no prato (nesta fase a criança deve aceitar a consistência equivalente à dos adultos).

Como fazer: panela de pressão! Pode colocar a carne na panela de pressão, com alho e cebola por exemplo, e deixar cozinhar até que fique bem macia. Alguns legumes e tubérculos com consistência mais endurecida também podem acompanhar a carne, como beterraba, aipim e batata. Ao término da cocção, estarão prontos para serem amassados  e  a carne bem picadinha!

Motivos para não postergar a introdução da carne:

1) a criança precisa ingerir a carne para ter um bom aporte de ferro  e zinco

2) a carne é uma ótima fonte de proteína

3) a textura da carne é mais consistente, e ajuda a estimular a lateralização da língua e a musculatura da face, incentivando a mastigação

4) apenas cozinhar a carne com os outros alimentos não é suficiente para que a criança tenha os nutrientes provenientes da carne

 

carne

 

Ah, vale lembrar que a recomendação da introdução da carne aos 6 meses, no momento da introdução alimentar é válida há algum tempo, e incentivada pelos órgãos competentes, como a Sociedade Brasileira de Pediatria (2012) e Ministério da Saúde (2010).

 

Hambúrguer caseiro?! Pode!!!

 

Esta dica é pra quem gosta de hamburger, mas já entendeu que os hambúrgueres industrializados tem muitos conservantes, além de uma quantidade de sódio também elevada!

Então, no final de semana eu resolvi testar e fiz um hambúrguer caseiro! Entrei em diversos sites para ver as receitas, mas no fim resolvi fazer a minha própria.. uma mistura de outras!!

E aí está o resultado!

 

Para esta receita utilizei:  1kg de carne moída

Tempero verde desidratado

Alho

Cebola

Sal à gosto

Amaranto

Quinoa

**como aqui em casa gostamos de comida bem temperada, exagerei nos temperos! Mas cada um pode acrescentar como preferir!

 

Modo de fazer: misturar os ingredientes em um recipiente; Moldar os hambúrgueres; Passar um fio de azeite na frigideira e deixar dourar!

Que tal testar?!

Aqui em casa fez sucesso!

photo 1

photo 2

photo 3

 

DICA DA NUTRI! – Copo de transição – sem bico!

Que tal um copo de transição sem bico?!

Que ensina o bebê a tomar líquidos em copos “de gente grande”?
Então, esta é a proposta dos copos de treinamento da Sassy e da Avent! 
Adorei!

 Normalmente, no período de introdução alimentar, os pais ficam incomodados com a ideia de oferecer líquidos (água ou suco) em copos para as crianças, com medo de que engasguem e também pela questão de que se o líquido derramar, vai molhar a roupa, a criança fica molhada, com frio… e o que acontece muitas vezes é que a criança acaba sendo apresentada para a mamadeira, pois esta é considerada mais segura pelos pais. Bom, eu normalmente sugiro que a criança utiliza copos de treinamento para tomar água e suco, principalmente se a criança está em aleitamento materno exclusivo, mas também para aquelas que utilizam mamadeira para tomar leite, prefiro que iniciem o uso do copo quando forem experimentar outros líquidos! é literalmente um treinamento, para que se acostumem a fazer o movimentos necessários para utilizar copos, xícaras, canecas quando forem maiores!! 

Então, hoje, procurando novidades encontrei o que há muito tempo eu procurava! COPO DE TREINAMENTO SEM BICO! (eles não são tão novos assim,  mas nas minhas pesquisas anteriores eu não havia encontrado!!) 
Achei ótimo, por vários motivos:

primeiro, tem válvulas anti vazamento (deixa os pais mais tranquilos, evita o derramamento de líquido na criança, e faz com que a criança tenha que sugar para conseguir tomar o que tiver no copo);

segundo, não tem bico (a criança aprende que para tomar em copos ou equivalentes é necessário fazer outros movimentos, evita todos os problemas equivalentes ao uso da mamadeira – que podem surgir em caso de uso prolongado e excessivo de bicos)

SUGESTÃO: iniciar a oferta de água no momento da introdução da alimentação complementar, com copo com bico e com válvula anti vazamento (o bebê está habituado a fazer a sucção), aos poucos, oferecer água no copo sem bico…

Sempre lembrando que o melhor exemplo são os pais! Então para o bebê aprender a usar copo e tomar água, os pais precisam incentivar!!

Enfim, eu achei uma ótima opção!

Que tal testar? 

Coposassy

avent 2 avent 3 avent 4

avent

(IMAGENS: site Avent e site Sassy)

Os 10 piores alimentos para as crianças – Matéria no site Delas – Ig

Confiram a matéria com participação da Nutri Ana Terrazzan:

Assim que a criança entra na fase de alimentação sólida, a atenção dos pais deve se voltar à qualidade da comida que ela irá ingerir. Refeições nutritivas e saborosas são prioridade no prato dos filhos, e o que não trouxer benefícios à saúde deverá ser descartado da dieta diária. “Em alimentação e nutrição deve-se pensar em saúde e bem-estar e sempre agir de maneira preventiva. A preocupação não deve surgir apenas depois de problemas instalados”, afirma Ana Carolina Terrazzan, nutricionista materno-infantil da Nutrissoma Clínica de Nutrição.

Mas, com a correria do dia a dia, alimentos considerados ruins aparecem no cardápio caseiro quando a pressa fala mais alto do que a qualidade de vida. A nutricionista Karoline Basquerote, especializada em educação alimentar para crianças, explica que “a facilidade do acesso a alimentos prontos para o consumo acaba levando a refeições mais gordurosas e açucaradas e ao consumo de refrigerantes e guloseimas, o que contribui para problemas relacionados à obesidade infantil, por exemplo”.

Os vilões

Sucesso entre a criançada, a dupla refrigerante e salgadinho (de saquinho) é a maior vilã da alimentação infantil. Juntos ou isoladamente, a bebida e o petisco têm valor nutricional praticamente nulo e trazem muitos males, entre eles o risco de doenças e de enfraquecimento dos ossos, por causa da alta concentração de elementos como o sódio e da presença de ácidos nas fórmulas.

Sucos industrializados (em pó ou líquidos) e bolachas recheadas, também muito queridos pelos pequenos, são igualmente ruins para a dieta infantil. O motivo: altíssima concentração de açúcar em cada porção dos alimentos.

Algumas “soluções rápidas” para almoço ou jantar figuram entre os piores alimentos para as crianças. São os nuggets, os hambúrgueres e as salsichas, que muitas vezes entram como substitutos de um bife ou filé. Quase sempre feitos com carne processada, eles não têm as proteínas que muitos pais creem fornecer aos filhos quando os colocam no prato. Para piorar, a maioria dos hambúrgueres é rica em gordura trans. O melhor é se manter fiel à carne tradicional.

Sempre pense em alternativas

Para manter a saúde e o ritmo das atividades cotidianas, é preciso saber que alimentos priorizar. O caso do macarrão instantâneo é um dos mais fáceis. Considerado maléfico por ter muito sódio, muitos conservantes e poucas vitaminas, ele pode dar lugar ao macarrão regular. “O tempo médio de preparo de um macarrão instantâneo é de três minutos, o de um não instantâneo é de oito minutos. São cinco minutos a mais para oferecer um prato saudável ao filho. Vale a pena! E no tempo de cozimento da massa é possível fazer um molho bem gostoso”, sugere Ana Carolina Terrazzan.

O suco em pó ou de caixinha deve ser substituído pelo suco natural da fruta. E se a criança apenas estiver com sede ao longo do dia, precisa beber água. Refrigerantes podem ficar reservados a apenas um dia do fim de semana; se der para evitá-los até neste dia, melhor.

O resultado desse esforço poderá ser visto em todos os aspectos da vida dos filhos. “Mantendo uma boa rotina alimentar, rica em nutrientes, a criança terá mais facilidade no aprendizado, um melhor desenvolvimento do corpo e do sistema imunológico. Os bons hábitos evitam problemas graves de saúde no presente e no futuro”, diz a nutricionista Mariana Fróes.

Fontes: Ana Carolina Terrazzan (nutricionista materno-infantil da Nutrissoma Clínica de Nutrição e mestre em saúde da criança e do adolescente pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS), Karoline Basquerote (nutricionista clínica especializada em educação alimentar para crianças) e Mariana Fróes (nutricionista da Clínica de Nutrição Funcional Patricia Davidson Haiat).

Veja a matéria em http://delas.ig.com.br/filhos/2013-07-26/piores-alimentos-para-as-criancas.html

Quando iniciar a higiene bucal do bebê?

brushing teeth

Existem diversas recomendações, muito contraditárias acerca deste assunto! Então, há um tempo tenho feito uma busca nas bases de dados para saber quais as recomendações mais atuais?! E vamos lá!

E, em resumo, encontrei como recomendação mais atual a recomendação do  Guideline on Infant Oral Health Care  da AMERICAN ACADEMY OF PEDIATRIC DENTISTRY  (publicado em 2013):

A questão de iniciarmos a higiene bucal das crianças se dá pelo fato de principal de prevenção da cárie, e todos sabemos que para evitar esta doença, o mais importante é a formação dos bons hábitos de higiene aliado aos bons hábitos alimentares!

Neste guideline, existem diversas recomendações, inclusive sobre hábitos alimentares e higiene bucal do adulto! Mas vamos manter o foco nos pitocos!! Em resumo – bem resumido mesmo são 4 definições:

1) todas as crianças devem fazer uma primeira avaliação da saúde bucal aos 6 meses de idade

2) a erupção dos dentes pode causar desconforto às crianças e o tratamento dos sintomas  pode incluir uso de analgésicos e mordedores “gelados”  – contudo os analgésicos devem ser desencorajados

3) Medidas de higiene oral devem  ser implementadas no momento da   erupção do primeiro dente decíduo. A limpeza dos dentes do lactente  deve ser realizada com escova macia, apropriada ao tamanho da boca do bebê, e deve ser feita pelos pais, pelo menos duas vezes ao dia. O fio dental deve ser utilizado quando a superfície dos dentes não mais puder ser limpa com a escova.

4) Diversos estudos epidemiológicos mostram que o leite humano e o aleitamento materno proporcionam saúde geral, nutricional, de desenvolvimento, psicológico e social, e ainda diminui a incidência de um grande número de doenças. Ainda, leite materno não foi epidemiologicamente associado à caries. O uso de mamadeira com leite ou suco durante a noite  tem grande relação com cárie.

Então!

A recomendação é: iniciar a higiene bucal do bebê após a erupção do primeiro dente! (eu acrescentaria ainda  A FRASE:   Iniciar a higiene oral do bebê, após a introdução da alimentação complementar, ou erupção do primeiro dente);

>> lembrando que as orientações sobre higiene bucal são de competência do odontopediatra.. como nutri, apenas oriento  aos pais dos pacientes, para que ,marquem uma consulta com o odontopediatra!!

E vale um lembrete: Leite materno não é cariogênico (também tem artigo específico sobre este assunto.. mas fica para uma próximo post)! 

Para quem tiver interesse: http://www.aapd.org/media/Policies_Guidelines/G_infantOralHealthCare.pdf

%d blogueiros gostam disto: