0

Hidratação Infantil (Reportagem ZH – Janeiro 2014)

Confira a Reportagem de Vanessa Girardi,  com participação da Nutri Ana Terrazzan 

“Bebeu água?
Tá com sede?
Olha, olha, olha
a água mineral.”

reportagem ZH ana C - jan 2014

É no ritmo da música do Timbalada que os jovens talentos que participarão da seletiva de Tramandaí, dias 11 e 12 de janeiro, do Peneirinha Head and Shoulders, precisam entrar. Grande novidade da segunda edição, meninos que estão férias terão a chance de participar do projeto no Litoral Norte. E na estação mais quente do ano, cuidar da hidratação é essencial.

Um dos primeiros sintomas sentidos pelas crianças que estão expostas ao sol durante o exercício físico é sensação de secura na boca. Trata-se de um indicativo de que o corpo reivindica água. Os pais precisam estar atentos.

– A água é fundamental e o organismo é sábio. Quando ele manda essa informação da boca seca, significa que a pessoa já está precisando de reposição de água – salienta o fisiologista Osvaldo Donizete Siqueira, que é coordenador da preparação física da base do Grêmio e coordenador adjunto do curso de Educação Física da Ulbra.

Independentemente do fato do menino estar acostumado a praticar exercícios físicos ou não, é importante que ele se prepare para ter um desempenho tranquilo durante a seletiva, que ocorrerá entre os dias 11 e 12 de janeiro. Uma semana antes já é necessário fazer um planejamento alimentar e de hiperhidratação – ou seja, maior consumo de líquido, para que, no momento do teste, não haja desidratação.

– As crianças precisam tomar água. É ela que vai manter a hidratação de uma maneira mais adequada no organismo – ressalta a nutricionista Ana Carolina Terrazzan, que é especialista em nutrição materno-infantil, mestre e doutoranda em Saúde da Criança e do Adolescente pela UFRGS.

Confira ao lado as dicas de Ana Carolina Terrazzan para que os meninos estejam preparados para entrar em campo com a hidratação em dia.
Como se hidratar para a prova
– Uma semana antes, o menino deve se habituar a tomar uma quantidade maior de água. Cerca de 1,8 litro até 2 litros por dia.

– 24 horas antes da seletiva, o consumo ideal seria de 1,3 litro até 1,5 litro por dia.

– No dia da competição, pelo menos duas horas antes, é indicado que o menino beba até meio litro de água. Para crianças com menos de 41 quilos, uma hora antes do exercício, mais 100 ml. Crianças acima de 41 quilos podem tomar de 180 a 300 ml de água.

– Importante: com a ingestão de mais água, a vontade de urinar vai aumentar. Mas não se preocupe, a sudorese (transpiração) também será maior e haverá perda de líquido pelo suor. Logo, dificilmente o menino terá que abandonar o teste para ir ao banheiro.

Disponível também em: http://zerohora.clicrbs.com.br/rs/esportes/noticia/2014/01/beba-agua-liquido-e-essencial-para-o-bem-estar-da-garotada-4378555.html

Anúncios
0

Entrevista Programa TVCOMTudo+ – Alimentação Infantil

http://www.msn.com/pt-br/saude/nutricao/os-10-alimentos-industrializados-vil%C3%B5es-da-alimenta%C3%A7%C3%A3o-infantil/ss-AA5EZ5b

Entrevista Programa TVCOMTudo+ “Manhê” – Alimentação Infantil (20/11/2013) Pontos importantes da entrevista: “Pais e família são o melhor exemplo para alimentação saudável” “Crianças (crianças menores de um ano, não!! crianças maiores de 2 -3 anos..) podem EVENTUALMENTE consumir alimentos “guloseimas” mas precisam ter limites e saber fazer as melhores escolhas” http://videos.clicrbs.com.br/rs/tvcom/video/tvcom-tudo-mais/2013/11/tvcom-tudo-mais-manhe-como-conquistar-equilibrio-alimentacao-dos-pequenos/51521

Vídeo
0

Dudu Laranja x Pirulito

E ontem o Dudu ganhou um pirulito que veio junto com uma lembrancinha de aniversário! …
Como eu sempre digo, a questão não é proibir e sim ensinar as crianças a fazerem as melhores escolhas!
{claro que, para crianças menores os doces não devem fazer parte da rotina alimentar!!}

Em resumo, é possível ensinar as crianças, colocar limite e incentivar a alimentação saudável! Precisa de esforço? SIM! Mas vale muito a pena! 🙂

#nutrianaterrazzan #meufilhomeumelhorexemplo

0

Os 10 piores alimentos para as crianças – Matéria no site Delas – Ig

Confiram a matéria com participação da Nutri Ana Terrazzan:

Assim que a criança entra na fase de alimentação sólida, a atenção dos pais deve se voltar à qualidade da comida que ela irá ingerir. Refeições nutritivas e saborosas são prioridade no prato dos filhos, e o que não trouxer benefícios à saúde deverá ser descartado da dieta diária. “Em alimentação e nutrição deve-se pensar em saúde e bem-estar e sempre agir de maneira preventiva. A preocupação não deve surgir apenas depois de problemas instalados”, afirma Ana Carolina Terrazzan, nutricionista materno-infantil da Nutrissoma Clínica de Nutrição.

Mas, com a correria do dia a dia, alimentos considerados ruins aparecem no cardápio caseiro quando a pressa fala mais alto do que a qualidade de vida. A nutricionista Karoline Basquerote, especializada em educação alimentar para crianças, explica que “a facilidade do acesso a alimentos prontos para o consumo acaba levando a refeições mais gordurosas e açucaradas e ao consumo de refrigerantes e guloseimas, o que contribui para problemas relacionados à obesidade infantil, por exemplo”.

Os vilões

Sucesso entre a criançada, a dupla refrigerante e salgadinho (de saquinho) é a maior vilã da alimentação infantil. Juntos ou isoladamente, a bebida e o petisco têm valor nutricional praticamente nulo e trazem muitos males, entre eles o risco de doenças e de enfraquecimento dos ossos, por causa da alta concentração de elementos como o sódio e da presença de ácidos nas fórmulas.

Sucos industrializados (em pó ou líquidos) e bolachas recheadas, também muito queridos pelos pequenos, são igualmente ruins para a dieta infantil. O motivo: altíssima concentração de açúcar em cada porção dos alimentos.

Algumas “soluções rápidas” para almoço ou jantar figuram entre os piores alimentos para as crianças. São os nuggets, os hambúrgueres e as salsichas, que muitas vezes entram como substitutos de um bife ou filé. Quase sempre feitos com carne processada, eles não têm as proteínas que muitos pais creem fornecer aos filhos quando os colocam no prato. Para piorar, a maioria dos hambúrgueres é rica em gordura trans. O melhor é se manter fiel à carne tradicional.

Sempre pense em alternativas

Para manter a saúde e o ritmo das atividades cotidianas, é preciso saber que alimentos priorizar. O caso do macarrão instantâneo é um dos mais fáceis. Considerado maléfico por ter muito sódio, muitos conservantes e poucas vitaminas, ele pode dar lugar ao macarrão regular. “O tempo médio de preparo de um macarrão instantâneo é de três minutos, o de um não instantâneo é de oito minutos. São cinco minutos a mais para oferecer um prato saudável ao filho. Vale a pena! E no tempo de cozimento da massa é possível fazer um molho bem gostoso”, sugere Ana Carolina Terrazzan.

O suco em pó ou de caixinha deve ser substituído pelo suco natural da fruta. E se a criança apenas estiver com sede ao longo do dia, precisa beber água. Refrigerantes podem ficar reservados a apenas um dia do fim de semana; se der para evitá-los até neste dia, melhor.

O resultado desse esforço poderá ser visto em todos os aspectos da vida dos filhos. “Mantendo uma boa rotina alimentar, rica em nutrientes, a criança terá mais facilidade no aprendizado, um melhor desenvolvimento do corpo e do sistema imunológico. Os bons hábitos evitam problemas graves de saúde no presente e no futuro”, diz a nutricionista Mariana Fróes.

Fontes: Ana Carolina Terrazzan (nutricionista materno-infantil da Nutrissoma Clínica de Nutrição e mestre em saúde da criança e do adolescente pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS), Karoline Basquerote (nutricionista clínica especializada em educação alimentar para crianças) e Mariana Fróes (nutricionista da Clínica de Nutrição Funcional Patricia Davidson Haiat).

Veja a matéria em http://delas.ig.com.br/filhos/2013-07-26/piores-alimentos-para-as-criancas.html

1

Porque evitar açúcares e gorduras na alimentação infantil???

Porque evitar açúcares e gorduras na alimentação infantil???

Existem diversos motivos para esta recomendação!

Tudo começa com o que chamamos de formação do paladar!
Hoje, temos várias pesquisas demonstrando a importância da formação do paladar infantil, como forma de construir bons hábitos alimentares. E sabemos também que o paladar infantil pode ser influenciado desde o período intrauterino (por isso também a importância em manter uma alimentação variada e saudável já na gestação)!  Enfim, a ideia geral é oferecer alimentos variados, dar ênfase ao consumo de frutas, verduras, legumes desde o momento da introdução alimentar, para que a criança aprenda a diferenciar os sabores, e aprenda a apreciar os alimentos. Fazendo isto, estamos proporcionando um aprendizado, formando o paladar. Este aprendizado será levado pela criança para o resto da vida, e certamente influencia para a adoção de bons hábitos em fases futuras!
Bom, mas voltando à pergunta principal… por que evitar açúcares e gorduras?
Na realidade não podemos generalizar totalmente esta recomendação! Primeiro, precisamos entender quais açúcares e gorduras realmente devemos evitar!!
Pois bem, “açúcares” na realidade compreende um grupo muito importante de nutrientes, os carboidratos, e estes devem fazer parte da alimentação sim! Mas, neste post, quando falo de açúcar, estou me referindo ao açúcar de adição (aquele que acrescentamos às preparações), ou aquele presente em alimentos como chocolates, bolos com muito recheio ou coberturas, bolachas recheadas…
E, para as gorduras, também vale esclarecer! Sim, algumas “gorduras” são importantes, e podem ser consumidas, como o azeite de oliva por exemplo! Mas hoje, estamos pensando nos alimentos ricos em gorduras não tão saudáveis, como aquelas presentes nas bolachinhas recheadas, nos salgadinhos, balas,  bolinhos tipo “maria”… enfim, nas guloseimas em geral!
O consumo excessivo de alimentos ricos em açúcares e gorduras contribui para o excesso de peso, alteração da pressão arterial e alteração no perfil lipídico (quanto temos alterações nos exames laboratoriais). Ah! mas estes são problemas de adultos!!! Errado! Estes problemas estão sendo detectados cada vez mais em crianças, desde a primeira infância! E por isso devemos ser mais severos quanto à oferta destes alimentos.
Muitas vezes recebo pais e mães com crianças que estão aparentemente saudáveis, tudo indo bem, mas quando iniciamos um acompanhamento mais específico, e verificamos os exames, várias alterações são detectadas! a boa notícia é que mudanças nos hábitos alimentares normalmente são suficiente para que os exames voltem ao “normal” e a criança venha a ficar de fato saudável! por isso é sempre importante lembrar: não é só uma questão de ganho de peso, ser  mais “gordinho”ou mais “magrinho” não é sinônimo de estar bem nutrido!
E qual o segredo então?! fazer melhores escolhas! a utilização de alimentos prontos, industrializados está presente no cotidiano, não temos como fugir! então o melhor é deixar estes alimentos para os momentos de correria mesmo, de maior necessidade! E a rotina deve ser a oferta de alimentos mais adequados e mais saudáveis.
E o mais importante: a criança não conhece o sabor dos alimentos, quem faz a introdução alimentar somos nós, adultos. Portanto, cabe à nós orientar e realizar oferta de maneira adequada. isto é a formação dos hábitos saudáveis, que permanecerão com a criança para toda a vida! E sim, a criança provavelmente terá contato com as “guloseimas” e de maneira nenhuma a intenção é simplesmente proibir o consumo, mas sim ensinar a criança a manter a alimentação saudável no cotidiano, para poder consumir os “excessos” em momentos específicos como comemorações, finais de semana… (exceto para aquelas menores de 2 anos, que realmente não devem consumir doces, salgadinhos, etc…)
Por fim, vale sempre lembrar que a introdução alimentar, conforme as recomendações da Sociedade Brasileira de Pediatria deve ser realizada a partir dos 6 meses de vida, tanto para as crianças em aleitamento materno, quanto para aquelas crianças em uso de fórmulas lácteas. E, a introdução alimentar precoce (antes dos 6 meses) tem relação com o desenvolvimento de  dificuldades alimentares durante a infância, como a recusa alimentar!

Como dica, fica a orientação para que procurem uma nutri infantil desde o momento da introdução alimentar! Às vezes, uma orientação mais precisa, além de servir como base para formação adequada do paladar e aceitação alimentar,  pode prevenir problemas futuros! E se o problema já está instalado, também vale procurar ajuda, o profissional pode orientar adequadamente as mudanças a serem feitas!

Este post também está no blog Gente Miúda – já conhece? não? Então passa lá que tem matérias super legais! http://www.gentemiuda.blog.br